Com qual fundação terei uma boa economia? | Casa Teto

Com qual fundação terei uma boa economia?

  • Data : 17 de junho de 2021

Como você já viu no último texto do Blog Casa Teto, existem várias patologias causadas por fundações mal feitas e cabe aos profissionais responsáveis evitar que esses problemas aconteçam. Mas será que é possível economizar nessa etapa da construção sem perder qualidade? A princípio, sim, porém depende do tipo de construção que será feita. Quer entender como isso é possível? Continue a leitura e tire suas dúvidas.

Tipos de fundação

Em suma, podemos separar os tipos de fundação em dois grupos principais: superficial e profunda. A superficial espalha a carga da estrutura no solo lateralmente. A profundidade máxima da fundação superficial é normalmente de três metros, justificando seu nome. Esse tipo de fundação é mais barato e faz bem seu papel quando executada de forma correta.

Visualmente falando, as fundações superficiais são classificadas da seguinte forma:

  • Sapatas: usam o concreto armado para dimensionar as armaduras. Podem ser corridas (com a carga distribuída linearmente) ou associadas (com vários pilares);
  • Bloco de fundação: absorve toda a carga e a distribui sem a necessidade da armadura.
  • Radier: se assemelha a uma placa maciça e ocupa toda a área a ser construída, de modo a receber a carga inteiramente e a distribuir igualmente pelo terreno.
  • Vigas: tipos de fundação que têm os centros alinhados, fazendo a distribuição linear da carga.

Antes de falar mais sobre as fundações profundas, veja, neste novo vídeo do canal da Casa Teto no YouTube, nosso CEO, Bruno Rezende, contando experiências reais com fundações e seus possíveis problemas. Dá o play agora mesmo:

A fundação profunda, como o próprio nome já diz, distribui a carga da superestrutura no solo verticalmente, em vez de lateralmente. Por conta disso, são mais utilizadas em projetos mais altos, como os prédios, pois esses tipos de construção sofrem com a ação do vento, por exemplo. O valor da fundação profunda é maior se comparado a superficial justamente por exigir mais força de trabalho e material em sua execução.

Destacam-se entre as fundações profundas:

  • Estacas: colocadas através de maquinário e usada para transferir cargas pesadas da estrutura para um estrato de rocha dura muito abaixo do nível do solo. A profundidade é igual ou maior que 3m e podem ser de diferentes materiais tais como madeira, aço, concreto pré-moldado.
  • Caixões: esse elemento é concretado na superfície da obra e sua instalação é feita por escavação interna, com a opção de uso de ar comprimido. A base dos caixões pode ou não ser alargada;
  • Tubulões: se trata de um elemento cilíndrico que pode ou não ter a base alargada. Os materiais de construção dessa fundação incluem concreto ou aço.

Decidir o melhor e mais adequado tipo de fundação depende da avaliação do solo, do tipo de construção e de alguns outros fatores importantes nesse momento de decisão. Se você precisa de ajuda para decidir, conte com a Casa Teto. Se ainda restou alguma dúvida, entre em contato conosco através das redes sociais ou deixe sua pergunta nos comentários. Conheça o método “Tira do Papel” e obtenha ajuda profissional para realizar o seu sonho de construção.

Comentar

Registro não necessário.

Ao comentar, você aceita nossas Políticas de Privacidade